Certificações Abrangentes | Rótulos Ecológicos | Sistemas de Gestão Ambiental | Comércio Justo | Outras |
Certificações por área | Energia | Hídrica | Edifícios | Agricultura | Floresta | Têxtil | Cosmética | Produtos Marinhos |
Pegadas | Ecológica | Carbono | Hídrica |
Conselhos | Compra | Utilização | Limpeza | Alimentação | Festas | Lazer | Serviços | Fim de Vida Útil |

Certificações por área - Energia

Energy Star

O Energy Star surgiu em 1992 nos EUA, tratando-se de uma certificação voluntária que identifica e promove produtos energeticamente eficientes, com o objectivo de reduzir as emissões de gases de efeito de estufa associadas ao seu funcionamento. Esta certificação iniciou-se com os computadores e monitores.

 


 

Energy Saving Trust


No Reino Unido existe também a etiqueta Energy Saving Trust (Figura 2) que, desde 1993, distingue os equipamentos mais eficientes em várias categorias. Este selo abrange equipamentos também rotulados com a Etiqueta de Eficiência Energética (equipamentos de frio e máquinas de lavar) bem como outros equipamentos que ainda não estão incluídos na etiquetagem (computadores, impressoras, entre outros). Pode consultar os vários equipamentos assinalados com este rótulo na página: http://www.energysavingtrust.org.uk/Find-Energy-Saving-Trust-Recommended-Products/.

 

 

Etiqueta de Eficiência Energética

A etiqueta energética já faz parte do conhecimento colectivo como sendo um elemento fundamental de consulta na escolha de um novo electrodoméstico. Fruto de uma maior aposta das marcas na eficiência energética dos seus produtos, o mercado está em constante renovação também para responder à maior exigência do consumidor e à necessidade de garantir que o investimento feito na compra será recuperado na utilização.


Entre 1995 e 2003, a Etiqueta de Eficiência Energética expandiu-se, na União Europeia, a diversos produtos, abrangendo frigoríficos, combinados e congeladores, máquinas de lavar e de secar roupa e loiça, lâmpadas e fornos eléctricos, nos quais a sua afixação é obrigatória por lei.
Até 2003, foram sete as classes energéticas que regularam estes equipamentos, entre A e G (do mais para o menos eficiente).

A etiqueta inclui ainda informação sobre outras características dos electrodomésticos, como o volume/capacidade ou o nível de ruído, entre outros, consoante o equipamento em causa.

A certificação através desta etiqueta, regulamentada por lei, é já obrigatória para lâmpadas e vários electrodomésticos: máquinas de lavar loiça, lavar roupa e secar roupa, frigoríficos, combinados e arcas, equipamentos de ar condicionado e ainda fornos eléctricos.

A existência da escala de eficiência energética permite aos consumidores comparar os equipamentos, fazendo uma escolha com base na relação eficiência/preço.

Por outro lado obrigou os fabricantes a conhecerem o nível de eficiência dos seus electrodomésticos, incentivando-os a melhorá-la.

Em 2003, surgiram mais duas classes na etiqueta dos equipamentos de frio: A+ e A++, uma evidência de que os fabricantes continuavam a privilegiar a eficiência dos seus produtos, nomeadamente numa categoria que corresponde aos electrodomésticos responsáveis pela maior fatia no consumo doméstico de energia.

 


Nova Etiqueta Energética

Em finais de 2010, iniciou-se uma nova etapa na história da etiqueta energética europeia: em quatro categorias de produtos, a nova legislação criou novas classes de eficiência e uma nova imagem para adaptar a etiqueta à evolução tecnológica e permitir uma maior diferenciação do produto em termos de eficiência energética.  


A versão renovada da Etiqueta de Eficiência Energética começa a estar cada vez mais presente no mercado, uma vez que é obrigatória para todos os aparelhos de refrigeração (frigoríficos e arcas), máquinas de lavar roupa e loiça e televisores colocados no mercado actualmente. Para já, esta renovação apenas se aplica a estas quatro categorias de produtos, pelo que continuaremos a avistar no mercado a antiga versão da etiqueta, quer nas categorias ainda não abrangidas (lâmpadas, fornos, aparelhos de ar condicionado, máquinas de secar e de lavar e secar) quer nos equipamentos das categorias já abrangidas colocados há mais tempo no mercado. Esta nova etiqueta pretende essencialmente acompanhar e induzir o avanço tecnológico por parte dos produtores, bem como satisfazer as crescentes exigências dos consumidores, introduzindo novas classes energéticas e removendo aparelhos menos eficientes do mercado.

 

Características gerais:

- Os produtos abrangidos passam a ser classificados em sete classes, de A+++ a D, subindo o nível de exigência no que respeita ao desempenho energético.

- A etiqueta é neutra quanto ao idioma e igual para todos os países da União Europeia, pois os textos dão lugar a pictogramas, a partir dos quais os consumidores podem conhecer as características e o desempenho do produto.

- A nova legislação introduz ainda exigências quanto à publicidade e ao material promocional, como a referência obrigatória à classe energética do produto, sempre que são fornecidas informações sobre o preço ou a energia.

 

Particularidades:

- No caso Máquinas de Lavar e dos Aparelhos de Refrigeração, apesar das novas etiquetas apresentarem um intervalo de classes de A+++ a D, já só se encontram no mercado modelos com classes de A a A+++.

- No caso dos Televisores, cuja etiqueta foi criada de raiz, o intervalo de sete classes será inicialmente de A a G. As classes A+, A++ e A+++ serão introduzidas em 2014, 2017 e 2020, respectivamente. Por cada classe mais eficiente introduzida desaparecerá uma classe ineficiente, até se chegar ao intervalo A+++ a D.

- No caso dos Aparelhos de Refrigeração, o intervalo de classes varia consoante se tratem de aparelhos de refrigeração por compressão ou convencionais (sete classes de A+++ a D) ou aparelhos de refrigeração por absorção (dez classes de A+++ a G)

- Os Aparelhos de Armazenagem de Vinho (ou garrafeiras) têm uma etiqueta própria, semelhante à dos Aparelhos de Refrigeração, com um intervalo de dez classes de A+++ a G; a diferença está na substituição das capacidades dos compartimentos de congelação e de não congelação pela capacidade em garrafas normais.

- Os Aparelhos de Armazenagem de Vinho (garrafeiras) contam com uma etiqueta própria semelhante à dos Aparelhos de Refrigeração, com um intervalo de dez classes de A+++ a G; a diferença está na substituição das capacidades dos compartimentos de congelação e não congelação pela capacidade em garrafas normais.

 

Datas:

- Todos os aparelhos de refrigeração e televisores colocados no mercado desde 30 de Novembro de 2011 têm que apresentar, de forma visível, a nova etiqueta energética. No caso das máquinas de lavar roupa e louça essa obrigatoriedade apenas começou a 20 de Dezembro de 2011.

- Em Julho de 2010 foi aplicado um requisito de concepção ecológica que implicava retirar do mercado todos os aparelhos de refrigeração (frigoríficos por compressão, congeladores/arcas) com classe inferior a A. Desde Dezembro passado que este mesmo requisito passou também a abranger todas as máquinas de lavar roupa e louça (para mais de 11 serviços individuais).

 

Estimativas de poupança ao comprar:

- Um combinado de classe energética A+++ pode poupar 35€/ano em energia, comparativamente a um de classe A.

- Uma máquina de lavar louça ou roupa de classe energética A+++ pode poupar 8€/ano em energia, comparativamente a uma de classe A, considerando 3 lavagens semanais.

 

Consulte aqui os regulamentos de cada nova etiqueta:

- Máquinas de Lavar Loiça

- Aparelhos de Refrigeração


- Máquinas de Lavar Roupa

- Televisores

 

 

:: CONSELHOS

Reduza o consumo de carnes vermelhas, cuja produção é de todas a mais poluente e mais exigente em recursos.


HOME | DOCUMENTAÇÃO | LINKS | GLOSSÁRIO | CONTACTOS | Site desenvolvido por: