Certificações Abrangentes | Rótulos Ecológicos | Sistemas de Gestão Ambiental | Comércio Justo | Outras |
Certificações por área | Energia | Hídrica | Edifícios | Agricultura | Floresta | Têxtil | Cosmética | Produtos Marinhos |
Pegadas | Ecológica | Carbono | Hídrica |
Conselhos | Compra | Utilização | Limpeza | Alimentação | Festas | Lazer | Serviços | Fim de Vida Útil |

Certificações por área - Edifícios

 

Certificação Energética de Edifícios

Implementado na legislação nacional em 2006, o Sistema Nacional de Certificação Energética e da Qualidade do Ar Interior (SCE) dos edifícios veio introduzir mudanças nas transacções de imóveis. Com a entrada em vigor da sua ultima fase, a 1 de Janeiro de 2009, o SCE passou a abranger todos os edifícios ou fracções existentes quando vendidos (as) ou arrendados (as).

Até então, apenas os edifícios novos ou alvo de grandes remodelações tinham que cumprir esta certificação.

O Certificado de Desempenho Energético e da Qualidade do Ar Interior avalia cada edifício ou fracção quanto à sua classe de eficiência energética, numa escala de A+ a G (do mais para o menos eficiente). Se a licença de construção for posterior a 4 de Julho de 2006, apenas são admitidas as classes entre A+ e B-.


Como funciona o processo de certificação?
Quem deseje arrendar ou vender um edifício ou fracção e ainda não tem o respectivo Certificado de Desempenho Energético e da Qualidade do Ar Interior, deve contratar um perito qualificado para essa função. Para tal, deve ser consultada a página www.adene.pt, onde está disponível uma bolsa de peritos. O contacto com o perito é feito directamente pelo proprietário, o qual deve sempre solicitar ao mesmo a devida documentação, credenciada pela ADENE. Após marcação de visita e avaliação da fracção por parte do perito qualificado, o proprietário recebe um certificado de Desempenho Energético e da Qualidade do Ar Interior, emitido pela ADENE.

Vantagens
O objectivo é informar potenciais compradores ou arrendatários sobre o desempenho energético da casa pretendida, critério que deverá pesar na decisão final e que permite comprar diferentes habitações, tendo em conta os custos energéticos associados a cada opção.

Em Portugal, os edifícios são responsáveis pelo consumo de 30% da energia final e 62% da electricidade consumida. Como tal, tornou-se necessário criar legislação que obrigue a que o planeamento e construção de um edifício se traduzam em espaços eficientes do ponto de vista do consumo de energia.  

O Sistema Nacional de Certificação Energética e da Qualidade do Ar Interior é gerido pela ADENE(http://www.adene.pt/ADENE/Canais/SubPortais/SCE/Introducao/Apresenta%C3%A7%C3%A3o.htm), em cujo site onde podem ser pesquisados os certificados das habitações.

 

Certificação Ambiental dos Edifícios - LIDERA

O LIDERA é um sistema voluntário para avaliação da construção sustentável, criado em 2005. Pretende ser uma ferramenta de apoio, avaliação e certificação do ambiente construído que procure a sustentabilidade.

Através dos seus princípios (link em princípios para http://www.lidera.info/?p=MenuPage&MenuId=29) e critérios, o LIDERA incentiva o desenvolvimento de projectos com preocupações de sustentabilidade e certificação dessa procura no ambiente construído (edifícios, zonas urbanas, empreendimentos, materiais e produtos) desde a fase de projecto, construção até operação.

O sistema classifica o desempenho de a G a A (até A++), sendo que o nível E representa a prática actual (ou de referência) e o nível A corresponde, em muitos critérios, a um desempenho cerca de 50% superior ao nível E. O nível A+ corresponde a um Factor 4 (75% superior ao nível E) e o nível A++ a um Factor 10 (90% superior ao nível E).

Mais informações:
http://www.lidera.info/

 

A nível internacional existem outras certificações ambientais, como por exemplo:

LEED - Leadership in Energy and Environmental Design
http://www.usgbc.org/DisplayPage.aspx?CategoryID=19

BREEAM
http://www.breeam.org/

Certificação HQE
http://assohqe.org/hqe/

:: CONSELHOS

Na compra de peixes escolha espécies que não estão ameaçadas de extinção ou são sobreexploradas. Respeite os tamanhos mínimos e opte por espécies que tenham sido capturadas com métodos não agressivos.


HOME | DOCUMENTAÇÃO | LINKS | GLOSSÁRIO | CONTACTOS | Site desenvolvido por: