::DOCUMENTAÇÃO


“Biocombustíveis avançados para descarbonizar os transportes em Portugal”

11 de Novembro de 2014, Lisboa


PROGRAMA

9:30 – Receção dos participantes

9:45 – Boas vindas e abertura
Francisco Ferreira (Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza)
 

Painel 1 – Política de biocombustíveis em Portugal: presente e futuro

10:00 – O potencial dos biocombustíveis avançados para o sector dos transportes
Francisco Gírio (LNEG - Laboratório Nacional de Energia e Geologia)

10:15 – Os biocombustíveis na perspetiva das associações de defesa do ambiente
Mafalda Sousa (Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza)

10:30 – Discussão  

10:45 – 11:15 – Coffee Break 
 

Painel 2 – Exemplos de I&D em biocombustíveis avançados em Portugal

11:15 - Produção de biodiesel e sequestração de carbono a partir de microalgas
Vítor Verdelho (A4F – AlgaFuel S.A.)

11:30 - Produção de bioetanol a partir de resíduos de alfarroba
Maria Emília Costa (Universidade do Algarve)

11:45 - Produção de biocombustível a partir de gorduras animais e óleos usados
Hugo Pereira (Galp Energia/ENERFUEL)

12:00 -  Produção de bioetanol a partir de resíduos de bagaço de azeitona
Maria da Conceição Fernandes (Centro de Biotecnologia Agrícola e Agroalimentar do Alentejo)

12:15 – Discussão e encerramento 


 



A Quercus organizou, no passado dia 11 de novembro de 2014, um workshop subordinado ao tema: “Biocombustíveis avançados para descarbonizar os transportes em Portugal”, que decorreu no Auditório do Centro de Informação Urbana de Lisboa.

Esta iniciativa pretendeu abrir o diálogo entre investigadores, empresas (produtoras e distribuidoras de biocombustíveis), associações sectoriais e outros potenciais interessados sobre o papel dos biocombustíveis de segunda (a partir de resíduos florestais, agrícolas, industriais, sólidos urbanos) e terceira geração (a partir de microalgas) como uma solução sustentável para descarbonizar o sector dos transportes em Portugal nas próximas décadas. 

Os biocombustíveis avançados já são uma realidade em vários países da Europa onde existem unidades industriais em operação ou planeadas para produzir substitutos da gasolina ou gasóleo. Em Portugal,  a aposta nos biocombustíveis avançados poderá ser uma estratégia de desenvolvimento para o futuro apesar da dimensão do nosso país e de alguns constrangimentos, como a disponibilidade de matérias primas.

No entanto, e apesar destes constrangimentos, a investigação e desenvolvimento científico nesta área tem trazido sinais positivos e relevantes para o país.

A meta nacional de 10% de incorporação de energias renováveis nos transportes até 2020 (a qual será baseada em grande parte por biocombustíveis, e em menor parte pela mobilidade elétrica) e o uso limitado de biocombustíveis de primeira geração pelos impactos ambientais associados com a sua produção agrícola a nível europeu, são o motor-chave para o investimento e desenvolvimento de novas tecnologias de biocombustíveis de segunda e terceira geração.

 


workshop biocomb 1

workshop biocomb 2

workshop biocomb 3

workshop biocomb 4

 


Apoio na divulgação:
Câmara Municipal de Lisboa/Centro de Informação Urbana de Lisboa

 

Notícias sobre o workshop:
Ambiente Online - Portugal tem matéria-prima para biocombustíveis avançados: http://www.ambienteonline.pt/canal/detalhe/francisco-girio-lneg-



:: CONSELHOS

Opte por mudanças elevadas e baixas rotações do motor pois o consumo será menor.


HOME | DOCUMENTAÇÃO | LINKS | GLOSSÁRIO | CONTACTOS | Site desenvolvido por: