Iluminação | Tipo de lâmpadas | Potencial de poupança | Questões sobre lâmpadas | Conselhos |
Electrodomésticos | A eficiência começa na escolha | Etiqueta Energética | Conselhos | Bolsa |
Equipamentos | Standby e off-mode | Comprar equipamentos | Conselhos |
Climatização | Climatizar a casa | Sistemas de Climatização | Conselhos |
Renováveis | Aplicações | Tecnologias | Benefí­cios e incentivos | Certificação e garantia | Bolsa |

Iluminação - Tipo de lâmpadas

 

São cinco os principais tipos de lâmpadas para uso doméstico:

  • Lâmpadas fluorescentes compactas
  • Lâmpadas fluorescente tubulares
  • Díodos Emissores de Luz (LED)
  • Lâmpadas de halogéneo
  • Lâmpadas incandescentes

 

Lâmpadas fluorescentes


As lâmpadas fluorescentes podem ser classificadas de acordo com o seu formato: as mais vulgares são geralmente utilizadas nas cozinhas e designam-se por Lâmpadas Fluorescentes Tubulares. As Lâmpadas Fluorescente Compactas não são mais do que uma lâmpada fluorescente miniaturizada que se desenvolveu para substituir as vulgares lâmpadas incandescentes, grandes consumidoras de energia.

Tubulares


Estas lâmpadas são muito utilizadas pois proporcionam uma boa iluminação com pouca potência e baixo consumo energético, sendo as mais adequadas para locais com necessidades de longa iluminação.
Estas lâmpadas têm uma elevada eficácia e um período de vida muito elevado (cerca de 12 000 horas), permitindo economizar energia até 85 por cento, dependendo do modelo e da potência.

 

(Fonte: Philips)

 

Compactas
As lâmpadas fluorescentes compactas apresentam as mesmas vantagens das tubulares e têm uma instalação compatível com os casquilhos tradicionais usados para as lâmpadas incandescentes.
São especialmente recomendadas quando se necessita de utilização contínua por períodos de tempo superiores a pelo menos 1 hora.
Existem lâmpadas indicadas para zonas de descanso (branco quente) e outras adequadas para zonas de atividade (branco frio).
Estas lâmpadas têm um número elevado de horas de utilização, de 6 a 15 mil horas, e já estão preparadas para um número elevado de ciclos de ligar e desligar.

         

(Fonte: Philips)
 

 

Díodos Emissores de Luz (LEDs)
 

A redução do consumo de energia elétrica na iluminação passa indiscutivelmente pela utilização de LEDs.
Atualmente já existem LEDs com lumens equivalentes às lâmpadas incandescentes e de halogéneo.
Estas lâmpadas têm um preço mais elevado que as lâmpadas fluorescentes compactas, mas têm um período de vida muito superior (20 a 45 mil horas em oposição a 6 a 15 mil horas).
 
     

 (Fonte: Philips)

  

Lâmpadas de halogéneo

As lâmpadas de halogéneo têm estado a ter uma melhoria na sua eficiência energética. Atualmente já existem lâmpadas 20 a 60% mais eficientes que as tradicionais, e com um tempo de vida útil também superior que pode atingir as 5000 horas de utilização.

Estas lâmpadas têm um funcionamento semelhante ao das lâmpadas incandescentes. No entanto, apresentam a vantagem de conseguirem recuperar o calor libertado pela lâmpada, reduzindo a necessidade de eletricidade para manter a sua iluminação. Estas lâmpadas emitem uma claridade constante.
Outra vantagem deste tipo de lâmpadas, quando comparadas com as lâmpadas incandescentes, é a possibilidade de orientação da emissão de luz segundo diversos ângulos de abertura.
 
           

   (Fonte: Philips)

Lâmpadas incandescentes

Este tipo de lâmpada está ainda presente nas habitações. Este é no entanto o tipo de iluminação com menos eficiência luminosa (15 lm/W) e com o menor tempo de vida média (cerca de 1 000 horas).

A sua baixa eficiência em relação aos restantes tipos de lâmpadas deve-se ao facto de converterem a maior parte da eletricidade (90 a 95%) em calor e apenas uma percentagem muito reduzida (5 a 10%) em luz. Daí ficarem bastante quentes muito pouco tempo após terem sido acesas.
A sua elevada ineficiência conduziu a que a União Europeia aprovasse uma directiva com o objectivo de retirar estas lâmpadas do mercado. Este processo decorreu entre 2009 e 2012, com o seguinte calendário de proibição de venda:
  • Lâmpadas acima de 80W proibidas a partir de 1 de Setembro 2009;
  • Lâmpadas acima de 65W proibidas a partir de 1 de Setembro 2010;
  • Lâmpadas acima de 45W proibidas a partir de 1 de Setembro 2011;
  • Lâmpadas acima de 7W proibidas a partir de 1 de Setembro 2012.

 

 Actualização: Janeiro 2014

Outros projectos Energia por míudos

:: CONSELHOS

Utilize, sempre que possível, a iluminação natural. Estará a poupar electricidade.


HOME | DOCUMENTAÇÃO | LINKS | GLOSSÁRIO | CONTACTOS | Site desenvolvido por: