Mobilidade | Mobilidade Suave | Transportes colectivos | Partilha de viaturas |
Veículos | Combustão Interna | Veículos alternativos | Zonas de Emissões Reduzidas |
Componentes | Filtros de partículas | Catalisadores | Pneus |
Combustíveis | Biocombustíveis líquidos | Biomassa | Biocombustíveis gasosos | Combustíveis tradicionais |
Ruído | O que é | Efeitos na saúde | O que fazer | Contatos úteis | Conselhos |
Conselhos | Planeamento da deslocação | Na condução | Ar condicionado | Manutenção |

Componentes - Filtros de partículas

O filtro de partículas (designado por DPF ou FAP) é um dispositivo mecânico existente na linha de escape dos motores a gasóleo, o qual desempenha um papel extremamente importante na redução da emissão de partículas poluentes para a atmosfera.


Filtro de partículas
(Fonte: site da Mercedes-Benz)

 

Os filtros de partículas são constituídos por estruturas de paredes cerâmicas porosas, através dos quais atravessam os gases de combustão, ficando as partículas poluentes retidas nos canais. Os filtros conseguem reter entre 80% a 95% das partículas emitidas pelos gases de combustão, antes de serem libertados pelo escape do veículo para a atmosfera. Esta redução das partículas que são emitidas pelos gases de escape contribui para melhorar a qualidade do ar nas cidades e reduzir os efeitos nocivos da poluição atmosférica na N/ saúde.


Os filtros de partículas tendem a ficar saturados com o tempo e precisam de ser limpos ou “regenerados”. A regeneração passiva é feita de forma automática em trajectos de auto-estrada ou percursos mais longos, em que a temperatura dos gases de escape atinge valores mais elevados (cerca de 600ºC) queimando as partículas que ficam retidas nos canais do filtro. Os filtros de partículas de nova geração vêm revestidos por uma camada de platina nos canais de forma a que os gases ao passarem através das paredes porosas do filtro aumentem a temperatura e as partículas possam ser queimadas, limpando o filtro.
Neste vídeo é possível ver o modo de funcionamento do filtro de partículas em veículos a Diesel: http://www.youtube.com/watch?v=-GLixvKy5Ds&feature=player_embedded


Situação em Portugal


A norma europeia EURO 5 impõe limites para as emissões de óxidos de azoto (NOx) e de partículas nos motores a gasóleo, no que diz respeito à matrícula e venda de novos veículos, a partir de 1 Janeiro de 2011, na União Europeia. A norma impõe a todos os fabricantes de veículos regras mais exigentes a obrigatoriedade de instalação de fábrica de filtros de partículas em todos os veículos novos movidos a gasóleo comercializados em Portugal, a partir daquela data.

Desde o Orçamento de Estado de 2011, existe um agravamento no Imposto sobre os Veículos (ISV) para todos os veículos a gasóleo (ou a diesel) que tenham emissões de partículas acima de um determinado valor, que varia em termos de valor e de limite, com o tipo de veículo. Normalmente, os únicos veículos que cumprem este requisito são aqueles equipados com filtro de partículas (siglas DPF ou FAP).
Deverá informar-se junto do fabricante, do vendedor ou do Documento Único Automóvel (DUA) se o seu veículo tem instalado o filtro de partículas de origem, se este for anterior a 2011. Este agravamento também é aplicado quando não existe informação oficial do valor de emissões de partículas ou essa informação não está descrita no certificado de conformidade ou na ficha de homologação técnica.

Na área dos conselhos pode encontrar informação sobre os cuidados a ter com o filtro de partículas do seu veículo.
 

 

Atualizado: 16/10/2012

Outros projectos  

:: CONSELHOS

Planeie antecipadamente os percursos e escolha os mais descongestionados.


HOME | DOCUMENTAÇÃO | LINKS | GLOSSÁRIO | CONTACTOS | Site desenvolvido por: